Dinheiro Público & Cia

Receita e despesa, economia e política

 -

Blog explica como os governos tributam os cidadãos e utilizam o dinheiro público.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Em expansão, gigantes estatais BB e Caixa empregam 40% dos bancários do país

Por Dinheiro Público & Cia

O governo federal é, de longe, o maior empregador nacional dos bancários, categoria que iniciou greve hoje.

Em expansão acelerada de operações, agências e quadro de pessoal nos últimos anos, os gigantes estatais Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal contam, juntos, com cerca de 248 mil funcionários, segundo dados do Banco Central relativos ao final do ano passado. Trata-se de 40% dos 625 mil empregados em 99 bancos instalados no país.

 

Os bancos federais ganharam poder econômico _e influência política_ a partir do final do governo Lula, quando foram fundamentais na estratégia da política econômica de enfrentar a crise internacional por meio da ampliação do crédito doméstico.

De lá para cá, a participação dos bancos públicos no crédito total do país, que era de 36%, passou para pouco mais da metade, ou exatos 50,5%. As instituições federais também lideraram, no governo Dilma, a redução das taxas de juros para empresas e consumidores.

Seus funcionários têm um trunfo nas reivindicações salariais: BB e CEF estão entre as poucas estatais cujos lucros estão em alta _o que é um dado chave para a autoestima de um governo e um partido defensores da intervenção do poder público na economia.

A infografia acima mostra que a expansão do quadro de pessoal não está restrita às instituições estatais. Na disputa pelo posto de maior banco do país, Itaú e Bradesco promoveram uma escalada de suas estruturas desde a década passada, com a incorporação de outras instituições.

Na prática, o setor bancário nacional ficou mais concentrada nas quatro grandes instituições, o que torna mais difícil, por exemplo, uma queda dos juros impulsionada pela competição.

Blogs da Folha