Dinheiro Público & Cia

Receita e despesa, economia e política

 -

Blog explica como os governos tributam os cidadãos e utilizam o dinheiro público.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Governo de São Paulo contesta e IBGE altera dados sobre comissionados

Por Dinheiro Público & Cia

O governo de São Paulo contestou os dados do IBGE que apontaram uma disparada no número de comissionados na administração direta do Estado.

De acordo com os números da Secretaria de Gestão Pública, os cargos ocupados por funcionários sem vínculo com o serviço público aumentaram de 7.100 para 7.257. Considerando também a administração indireta, o aumento é de 13,8 mil para 14,4 mil.

As maiores discrepâncias entre as cifras estão no ano de 2012, quando o IBGE contabilizou apenas 1.657 nomeados na administração direta. Os números totais para 2013 são semelhantes: o IBGE contou 14,7 mil comissionados no Executivo paulista.

Já o instituto reafirmou seus números para 2013 e relatou que, a partir de informação recebida do governo de São Paulo, alterou o número de comissionados na administração direta em 2012 para 8.075.

Abaixo, a íntegra da nota enviada pelo governo estadual:

“O Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Gestão Pública e da Unidade Central de Recursos Humanos (UCRH), informa que a pesquisa divulgada nesta quinta-feira (13) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) a respeito Perfil dos Estados Brasileiros 2013 contém erros. O aumento de cargos comissionados em 2013, na verdade, foi de 4,4% nas administrações direta e indireta, conforme a tabela abaixo.

 O aumento representa 616 novos funcionários, dos quais 427 (70%) foram criados para a transformação do Detran.SP, o que permitiu a liberação de centenas de delegados e investigadores para sua verdadeira atividade, beneficiando a população.

 Administração Direta

 

2012

2013

Diferença 2013/2012

Comissionados

7.100

7.257

157

 

 

Administração Indireta

 

2012

2013

Diferença 2013/2012

Comissionados

6.705

7.164

459

 

Já com relação ao número total de servidores, de 2012 para 2013, o Estado diminuiu em 18,1 mil, passando de 699,6 mil para 681,4 mil servidores – números bem diferentes do informado pelo IBGE.

 Os números devem ser analisados considerando tratar-se da unidade federativa mais populosa do país. Deste modo, seus números absolutos serão sempre mais expressivos em comparação a outros estados. A comparação correta, portanto, é por números proporcionais.

 A contratação de funcionários no âmbito do Governo do Estado de São Paulo é sempre pautada na premissa do bom atendimento ao cidadão. Desta forma, houve especial aumento no número de médicos, policiais e professores – profissionais atuantes dos principais pilares na prestação do serviço público. 

E por acreditar que tal investimento no funcionalismo público reflete direta e positivamente na rotina e qualidade de vida do cidadão paulista é que foram contratados com o devido rigor no cumprimento ao que estabelece a Lei de Responsabilidade Fiscal.”

Leia mais: Sem intenção, IBGE expõe falta de transparência nas contas dos Estados

Ficou alguma dúvida? Faltou alguma informação?

Pergunte na área de comentários ou pelo Facebook.

Blogs da Folha