Dinheiro Público & Cia

Receita e despesa, economia e política

 -

Blog explica como os governos tributam os cidadãos e utilizam o dinheiro público.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Conselho de estatal engorda renda de ministro em até R$ 18,3 mil; veja casos

Por Dinheiro Público & Cia

O Conselho de Administração da Petrobras, que em 2006 deu o sinal verde para a hoje investigada compra da refinaria de Pasadena (EUA), ajuda a engordar o salário de dois ministros de Estado.

Os jetons, como são chamados os pagamentos mensais pela participação em conselhos de estatais e outras entidades, não são considerados parte dos salários -e, assim, permitem que ministros recebam acima do teto de R$ 29,5 mil mensais do serviço público.

Além do salário de R$ 26,7 mil, ministros do governo Dilma Rousseff recebem jetons que vão de pouco mais de R$ 3.800 a R$ 18,3 mil. Veja abaixo os valores de fevereiro.

X

Em um governo que controla mais de uma centena de empresas, são múltiplas as oportunidades de participação em conselhos do gênero para autoridades e funcionários.

Os conselhos têm o papel de supervisionar as atividades das empresas. Logo, é mais do que razoável haver representantes da União, controladora das estatais, entre os membros.

O tema, porém, é controverso porque nem sempre parecem claros os critérios de escolha  desses representantes.

Saiba mais: Entenda o caso Pasadena

Ficou alguma dúvida? Faltou alguma informação?

Pergunte na área de comentários ou pelo Facebook.

Blogs da Folha