Dinheiro Público & Cia

Receita e despesa, economia e política

 -

Blog explica como os governos tributam os cidadãos e utilizam o dinheiro público.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

Alta de preços monitorados pelo governo já supera meta de inflação

Por Dinheiro Público & Cia

Enquanto os presidenciáveis debatem a necessidade de um “tarifaço” no próximo ano, as tarifas públicas e outros preços monitorados pelos governos já estão subindo acima da meta oficial de inflação.

Dados divulgados nesta sexta (5) mostram aceleração aguda desses preços, que o governo Dilma Rousseff represou para segurar a alta da inflação. Nos últimos 12 meses, a alta é de 5,07%, um salto em relação ao 1,54% de 2013.

Inflação monitorados ago.2014

O controle de preços como os da gasolina e da energia elétrica evitou que a inflação, acima da meta de 4,5% desde 2010, estourasse o teto de 6,5% no ano passado. Mas a administração petista já está sendo forçada a rever essa estratégia.

Depois de impor uma redução das contas de luz no início do ano passado, o governo acabou tendo de permitir uma forte elevação neste ano, porque a escassez de chuvas comprometeu a geração da energia hidrelétrica e forçou o uso da termelétrica, mais cara.

Essas tarifas já subiram 13,58% nos últimos 12 meses, e a taxa só não é mais alta porque o Tesouro Nacional está gastando R$ 13 bilhões em subsídios neste ano para compensar as perdas das empresas do setor.

Outros preços monitorados acumulam altas acima da meta de inflação, caso de ônibus interestaduais, planos de saúde, jogos de azar, óleo diesel, táxi, correio, produtos farmacêuticos, gás veicular e de botijão.

A principal incógnita é como o governo atual e o futuro reajustarão o preço da gasolina, que tem grande impacto na inflação quando sobe e prejudica o caixa da Petrobras quando é represado -como hoje.

Os analistas de mercado esperam uma alta em torno de 5,05% nos preços monitorados neste ano, mas essa projeção tem subido desde o início do ano. Para 2015, esperam-se 7%, mas o cálculo desconhece as intenções da próxima administração.

Ficou alguma dúvida? Faltou alguma informação?

Pergunte na área de comentários ou pelo Facebook.

Blogs da Folha

Mais acessadas

Nada encontrado
Publicidade
Publicidade
Publicidade