Cofres públicos perdem R$ 27,3 bi em fevereiro com disparada do dólar

Por Dinheiro Público & Cia

O governo teve um gasto extra de R$ 27,3 bilhões em fevereiro  -o equivalente a um ano de Bolsa Família- na tentativa de conter a alta das cotações do dólar.

A perda, recorde, foi contabilizada em operações nas quais  o Banco Central ofereceu uma espécie de seguro ao mercado contra a valorização da moeda norte-americana. Como ela disparou, com elevação de 8,1% no período, o BC ficou com o prejuízo.

Chamadas de swap cambial, essas operações passaram a ser rotineiras em 2013 e serão encerradas a partir desta quarta-feira (1º), conforme anunciou o governo na semana passada.

Elas geraram ganho em janeiro e acumulam uma perda de R$ 16,5 bilhões no ano, segundo o BC. O objetivo, porém, não era ganhar ou perder dinheiro: era tranquilizar empresários e investidores que temem a desvalorização do real.

O dólar está em tendência de aumento em razão das perspectivas de recuperação da economia dos Estados Unidos, o que pode gerar perdas para quem tem dívida externa e elevação dos preços dos produtos importados.

Sem o seguro oferecido pelo BC, o mercado buscaria proteção comprando dólares à vista, o que elevaria ainda mais as cotações.

As perdas do mês passado foram incorporadas às despesas financeiras do governo federal, que, somadas às dos Estados e municípios, chegaram a R$ 56,3 bilhões no mês passado.

Ficou alguma dúvida? Faltou alguma informação?

Pergunte na área de comentários ou pelo Facebook.