Corte de gastos tende a reduzir a receita, num círculo vicioso; veja como

Por Dinheiro Público & Cia

Círculo vicioso 1

Cortes de despesas do governo têm impacto direto na atividade econômica, em especial devido à paralisação de obras públicas -afinal, os investimentos em infraestrutura são vítimas preferenciais dos ajustes nas contas públicas, por não serem despesas obrigatórias.

Caem as contratações de construtoras e de outras empresas que fornecem equipamentos, serviços e mão de obra ao setor publico. A queda da receita privada se irradia pela economia, com menos vendas, lucros, empregos e salários -e acaba se tornando queda da receita pública.

Por isso, ajustes fiscais devem ser feitos preferencialmente em momentos de atividade econômica favorável, para minimizar os danos. O governo Dilma Rousseff, porém, não tem mais essa escolha.

Ficou alguma dúvida? Faltou alguma informação?

Pergunte na área de comentários ou pelo Facebook.