Gasto federal em saúde crescerá nos próximos quatro anos o que não cresceu nos últimos dez

Qualquer que seja o desfecho das negociações no Congresso em torno das novas regras para o gasto federal em saúde, o que o governo Dilma Rousseff já aceitou é o suficiente para uma elevação das verbas para a área sem precedentes nos últimos dez anos.

Sob pressão dos parlamentares, o Planalto já concordou em aumentar gradualmente, até 2017, as despesas da União em saúde para 15% de sua receita corrente líquida (é a receita anual, descontados repasses a Estados e municípios e fontes de recursos como o PIS-Pasep).

Ao contrário do que ocorreu nos demais gastos sociais, a saúde até hoje não mereceu uma fatia maior do Orçamento ao longo da administração petista, iniciada em 2003.

Enquanto previdência, educação, assistência social e amparo ao trabalhador viveram um salto de despesas no período, a saúde obteve em 2012 pouco mais que os 12,6% da receita líquida consumidos em 2002.

No próximo ano, o orçamento da saúde pode crescer de R$ 92 bilhões para R$ 98 bilhões. Quando os 15% da receita líquida forem atingidos, a verba será de R$ 109 bilhões, em valores de 2014.

É o equivalente a 2% da renda nacional, ou seja, do Produto Interno Bruto. Enquanto Estados e municípios têm elevado suas despesas em saúde, a União tem mantido as suas em torno de 1,75% do PIB nos últimos anos.

Na nova área de infografias do blog, à direita, é possível ver, no quadro “Arrecadação X Gasto Público”, que as despesas públicas em saúde (federais, estaduais e municipais) chegam a 3,9% do PIB. No infográfico “Orçamentos Federal, Estadual e Municipal”, pode-se notar que o peso da saúde é muito maior nas despesas do governo estadual e da prefeitura paulistana.

Comentários

  1. Os gastos eu tenho certeza que crescem. Mas a qualidade da prestação de serviços e os salários dos médicos crescem também?

  2. Adivinha se esse dinheiro não será enviado para Cuba como “pagamento” pelo Mais Médicos

    1. M.Mig o grosso do dinheiro será enviado às multinacionais que dominam os laboratórios de medicamentos e fabricantes de equipamentos para fornecer remédios e realizar exames desnecessários caso a medicina brasileira desse ênfase à prevenção. Sem ênfase na prevenção o Ministério da Saúde deveria ser chamado de Ministério da Doença

      1. O Brasil importa muitas vacinas e medicamentos de Cuba. A prevencão é muito importante sim, mas há um grande número de doentes crônicos e com câncer.Para fazer prevencão,ou melhor,diagnóstico precoce, são necessários exames.

      2. Esqueceu de colocar no rol de carências a falta de esgotamento sanitário etc…. falta que eleva drasticamente as taxas de morbidade e mortalidade… Chega dessa ‘tropinha’, antes que o Brasil acabe…

  3. O dinheiro que será gasto a mais será usado para PROPAGANDA, que é a MARCA desse governo estabanado!

  4. Tudo mentira dos PTralhas. Eles só querem se reelegerem e depois vão falar que foi promessas de campanha. Eu já vi este filme.

    1. Pois e’, so complementando lembram que foi feita uma megaoperaçao para tratar os drogaditos da cracolandia, colocando policia nas ruas, mais assistentes sociais e psicologos para dar tratamento a estas pessoas? Pois nao valeu de nada, pois no centro da Cidade de Sao Paulo, eles voltaram parece em numero maior e sem toda aquela encenaçao, e nem mesmo a policia pode tirar. Este PT ( partido do prefeito de SP) e’ realmente pessimo e imagina se amanha entrar este candidato a governador para SP o tal de …. PADILLLHHHAAA …. mui amigo… continuem votando no PT, pra ver o que isso vai virar…..

  5. Para recuperar a saúde pública, talvez este dinheiro seja insuficiente. O mais importante é uma boa gestão e fiscalizacão.

  6. Esferas Federal, Estaduais e Municipais gastam em torno de 3,9% do PIB, ou seja, algo em torno de R$ 210 bilhões. Sendo que 35% da população tem convênio, este valor é destinado a 130 milhões de brasileiros, ou R$ 1.615,00/paciente/ano sem convênio. Um convênio empresarial razoável custando R$ 100,00 por mês daria R$ 1.200,00 por mês. Nota-se então grande desperdício pela ingerência, incompetência e, principalmente, pelos desvios.

  7. Gastaram 26 bilhões com a copa em 7 anos: Aprox. 3,5 bi por ano. Gasto somente com a saúde: 90 bi por ano. E o povo quer destruir os estádios, as cidades e dar gritos de ordem contra a Copa. Será q eles, pelo menos, sabem dessas informações?
    Estão atacando o lado errado! Como estão investindo esse dinheiro da saúde? Com certeza parte dessa grana foi desviada p\ a Suíça e Ilhas Cayman…

Comments are closed.