Ajuste fiscal pode permitir alta menor dos juros, diz BC; veja, com tradução, os 6 trechos essenciais da mensagem

O Banco Central divulgou uma ata de 32 parágrafos para explicar por que elevou sua taxa de juros de 11,25% para 11,75% ao ano e quais são suas intenções daqui para a frente.

A decisão foi tomada na semana passada, e a mensagem desta quinta (11) pode ser resumida em seis trechos essenciais, reproduzidos abaixo com a devida tradução do idioma do BC.

“O Copom decidiu, por unanimidade, intensificar, neste momento, o ajuste da taxa Selic e elevá-la em 0,50 p.p., para 11,75% a.a., sem viés.”

Tradução – “O Comitê de Política Monetária, formado pela cúpula do BC, decidiu por uma elevação maior dos juros, mas isso não quer dizer que esse ritmo será mantido daqui para a frente.”

Nota – Em outubro, os juros haviam subido 0,25 ponto percentual, com voto contrário de três dos oito membros do Copom.

“Considerando os efeitos cumulativos e defasados da política monetária, entre outros fatores, o Comitê avalia que o esforço adicional de política monetária tende a ser implementado com parcimônia.”

Tradução – “O BC acha que os juros já subiram bastante e deprimiram a economia; por isso, não devem subir muito mais.”

Nota – Essa observação, feita já no anúncio da medida, decepcionou o mercado, porque a inflação ameaça superar o teto legal de 6,5% neste ano e, principalmente, no próximo.

“O balanço do setor público tende a se deslocar para a zona de neutralidade, além disso, [o Copom] pondera que não se pode descartar migração para a zona de contenção fiscal.”

Tradução – “O BC acredita que, com Joaquim Levy na Fazenda, o governo finalmente pode vir a cortar gastos e ajudar no combate à inflação.”

Nota – A contenção das despesas públicas reduz o consumo e o investimento do país, esfriando a economia e contribuindo para conter os preços. Com isso, a necessidade de elevar juros é menor.

“Para 2015, a projeção de inflação se manteve relativamente estável, (…) acima da meta de 4,5%. Para os três primeiros trimestres de 2016, apesar de indicarem que a inflação entra em trajetória de convergência para a meta, (…) as projeções também apontam inflação acima da mesma.”

Tradução – “A meta de inflação só será atingida, na melhor das hipóteses, no final de 2016.”

Nota – A meta não é cumprida desde 2010, porque o governo petista teme derrubar ainda mais a economia com os juros necessários para reduzir a inflação a 4,5%.

“O fato de a inflação atualmente se encontrar em patamares elevados reflete, em parte, a ocorrência de dois importantes processos de ajustes de preços relativos na economia -realinhamento dos preços domésticos em relação aos internacionais e realinhamento dos preços administrados em relação aos livres. (…) A intensificação desses ajustes de preços relativos na economia tornou o balanço de riscos para a inflação menos favorável. Nesse contexto, o Comitê não descarta a ocorrência de cenário que contempla elevação da inflação no curto prazo, e antecipa que a inflação tende a permanecer elevada em 2015, mas ainda no próximo ano entra em longo período de declínio.”

Tradução – “Como o dólar e as tarifas públicas estão em alta, a inflação vai subir agora, mas começa a cair no ano que vem.”

Nota – O governo Dilma Rousseff represou preços como os da gasolina e da energia elétrica para conter a inflação, que precisam ser corrigidos daqui para a frente.

“O Comitê considera oportunas iniciativas no sentido de moderar concessões de subsídios por intermédio de operações de crédito; além disso, atribui elevada probabilidade a que ações nesse sentido sejam implementadas no horizonte relevante para a política monetária.”

Tradução – “O BC acredita que, com Joaquim Levy na Fazenda, o governo finalmente vai parar de injetar dinheiro nos bancos públicos para elevar o crédito.”

Nota – O BC sempre recomenda maior moderação no crédito subsidiado pelo Tesouro Nacional. É a primeira vez que fala em “elevada probabilidade” de isso acontecer.

Leia mais: A tradução da ata anterior

Ficou alguma dúvida? Faltou alguma informação?

Pergunte na área de comentários ou pelo Facebook.

Comentários

  1. A inflação no Brasil nunca estará dentro da meta. Por uma razão muito simples, ela não é real. Ela serve para denegrir a imagem do governo e aumento da taxa Selic. Os rentistas manipulam os dados da economia, para ganhar sempre mais e a muleta é a inflação que serve para tudo. Para subir a cotação do dólar, para subir a taxa Selic, para ganhar mais nas aplicações, para frear a distribuição de renda, para melhorar os ganhos dos mais ricos etc.

    1. Cleiton no mínimo tu és um imbecil econômico
      e aparentemente uma voz tosca e irreal da economia na américa latina e no mundo!

      1. Não é isto, Marco. É que o Cleiton também acha que deus criou o mundo em sete dias, e depois tirou férias. Aliás, é justamente porque deus tá de férias que os corruPTos do inferno estão tomando o Brasil!! kkkkkkk

    2. És um “GÊNEO DE ÇABEDORIA”. Ainda por cima, ousa opinar. Não sei se não sabe nada e não se dá conta, ou se mesmo não sabendo de nada, acha que sabe…

      1. Ele deve achar que entende muito de economia. E como todos que acham que entendem muito de assunto, na verdade ele entende muito pouco.

    3. Nem uma ameba pensaria em algo tão idiota.

      Vá pesquisar o que significa imposto inflacionário e talvez vc entenda o porque a d. diuma “deixou” a inflaçao fora de controle

    4. IMPOSTO INFLACIONÁRIO: transferência de renda do contribuinte para o governo, devido à inflação.

      Suponhamos que o governo emita moeda (fabrique dinheiro) num total igual a 10% do dinheiro em circulação (total de dinheiro nos bolsos mais depósitos nos bancos). Segundo os monetaristas, a inflação será, então, de 10% em época de estagnação (V. Ap.) 4. Assim, as pessoas perderiam 10% de seu dinheiro, devido à perda de seu poder aquisitivo, enquanto que o governo terá ganho esses 10%, materializado no dinheiro recém-emitido. Assim, houve um imposto inflacionário de 10 % pago por todos aqueles que tinham dinheiro em seu poder.

      É por isso que a melhor forma de defender-se da inflação é trocar a moeda local por dólares, ouro etc. Segundo Griffiths (1, p.94):

      Sob um aspecto importante, a inflação é quase uma forma especial de tributação. Ao contrário de outros impostos que têm de ser aprovados pelo Congresso, a inflação não requer aprovação dessa natureza. O imposto-inflação nunca é debatido em projeto de lei sobre finanças. O governo aumenta a oferta de moeda, geralmente por alguma razão aparentemente desejável – para aumentar a taxa de crescimento, para diminuir o número de desempregados, para baixar a taxa de juros. O resultado é inflação e, no processo, o governo arrecada automaticamente a receita adicional. Em virtude de os custos administrativos do imposto serem pequenos e o fato de evitar impostos não trazer proveito até que a taxa de inflação atinja proporções razoavelmente substanciais, a inflação é uma forma atraente de tributação para muitos governos que julgam difícil aumentar impostos de outras formas.

      Independentemente do imposto que a inflação faz recair sobre as reservas monetárias, o governo, com a inflação, ganha de outras maneiras. Na medida em que certas formas de dívidas governamentais, como títulos com fator mínimo de risco, letras do Tesouro, certificados de reserva para impostos, poupança interna e depósitos confiados às Caixas Econômicas, vencem taxas de juros inferiores à taxa de inflação, transfere-se riqueza do setor privado para o setor governamental. O governo beneficia-se também da inflação, se puder arrecadar impostos maiores, algo comumente designado de ‘draga fiscal’. Se o imposto de renda for progressivo, os contribuintes verificarão que a proporção de sua renda que pagam como imposto é maior, simplesmente por causa da inflação.

      ——————————-

      4 Supondo-se praticamente constante a velocidade de circulação da moeda, como se costuma verificar.

      Entendeu porque oPT quer devolta a hiper-inflacao ?

    5. Eu não sei porque esse cara não está no Ministério da Fazenda ou Banco Central. É um gênio. Com esses conhecimentos poderia dar aulas em Harvard.

  2. A mesma promessa foi feita em 2013 para 2014. Esses valores são maquiados para efeito de cálculos que interessa somente ao governo Federal. Acumulando tudo o que ocorreu de negativo estes ano de 2014, com corrupções e obras de elefante a Copa, esperem que 2015 virá uma conta bem amarga!

    1. Robert,

      Evitamos publicar links neste espaço, para não estimular seu uso para a divulgação de produtos ou campanhas.

  3. Porque vocês não fizeram uma reportagem desta antes das eleições? Agora não adianta mais. Serão mais quatro anos de estagnação.

  4. O Brasil com esta mentalidade de controlar a inflação com juros altos jamais poderá alcançar uma meta de superavit comercial positivo ,ao contrario dos paises desenvolvidos que aplicam politicas fiscais e monetarias com juros baixos para aquecer suas economias possibilitando melhor qualidade de vida a toda a nação.
    Don Manoel -cientista social -s.paulo -Brasil.

    1. É sim, chama o sarney pra botar a inflação de volta a 81% AO MÊS. Assim o país cresce e fica bom!

  5. A economia Brasileira irá se deteriorar ainda mais.Esquerdistas não querem tomar as ações econômicas necessárias porque obviamente irão afetar os seus eleitores e incentivarão a oposição.Porém, a falta de uma análise técnica do cenário e ações necessárias de ajuste, os quais todos nós sabemos que precisam ser tomadas, acabará causando exatamente no que os esquerdistas mais temem:o colapso econômico.O Brasil não viverá as benesses de uma outra festa das commodities. O trem passou e o dinheiro foi gasto de maneira irresponsável.Agora viveremos as consequências.

  6. Somente com a “tradução” efetuada, é que nós simples mortais podemos entender e tomar ciência de que a situação é muito grave, e que somente um ministro não será capaz de encontrar uma melhora, visto que ele estará subordinado a uma representante de um Partido Político, que tem como meta somente o PODER, e nada mais.
    Lamento, mas afirmo que o Levi, não estará no governo por muito tempo.
    Como afirmou Rui Barbosa. CADA POVO TEM O GOVERNO QUE MERECE>
    Obrigado
    Elizio Fonseca

  7. o que presenciamos no nosso pobre pais hoje é uma vergonha é tudo manipulado.

  8. A chamada está da “reportagem” está incorreta, a inflação está na meta (2,5% a 6,5%) já há 11 anos (quem a descumpriu dois anos seguidos foi o FHC), o que o Governo quer é trazê-la para o CENTRO da meta. “É a economia estúpido”.

    1. Marcos, antes de considerar os outros como estúpidos, informe-se melhor. A meta é de 4,5%. Arbitraram um desvio padrão, bastante grande e incomum, por certo, de 2 pontos acima ou abaixo. Mas a meta é de 4,5%, com certeza. Como fica muito chato apenas “aumentar o tamanho do alvo”, o PT propôs, neste caso, “diminuí-lo” também, obviamente sabendo que isto seria impossível, visto que inflação não se controla somente com aumento de taxa de juros. As torneiras dos gastos públicos seguem abertas, e a Dilma acaba de brindar o Congresso com mais migalhas, para aprovar a alteração da LDO, e não se ferrar com a LRF… Difícil atingir a meta desta forma. A propósito, parece que um PTista saiu da moita, indignado….

    2. Errado. A meta é 4,5%. 2 p.p. pra cima ou pra baixo é a tolerância. Se você chega 7 minutos atrasado numa aula, mas o professor dá 10 minutos de tolerância, você pode entrar, mas falar que chegou no horário é brincadeira. Na própria ata o BC cita que a meta é 4,5%, e a perspectiva é que a inflação fique acima da meta. Então se algo está errado, não é a reportagem, e sim o Banco Central.

    3. parece que marcos silva é outro imbecilóide de plantão a meta atual está tão fora que tiveram que ir pro congresso mudar a meta fiscal se não crime de responsabilidade fiscal e voce deve parar de por a culpa no fhc que entregou sem inflação quanta imbecilidade a tua Marcos Silva!

  9. Telão.br além UTI mui próx telão “funeral” ? Consequências de desgov.br / manzorras no dimdim do povo / coisa pública : há “pontos de estrangulamento” q paralisam há tempo crescimento da produção. Multiplicador q não é misterioso só multiplica preços ! # OBS. Investimentos / desgov.br sempre “superfaturados” … ! ## Painho Lu vai resorvê o pobrema. Omi kumpetenti defendido pelo seu hj amigo ( tmb de mainha Dirma ) ex-painho Collor ( 89/90/91 impeachment ) em entrevista 14/03/2010 : os economistas q aí estão têm q abrir aboca p/ dizer apenas o seguinte : temos hj 1 presidente ( painho Lu ) q está dando aulas de economia

  10. Essa é boa, eles estão preocupados com 2016, eu com 2015, esse ano vai ser amargo para o povo do Brasil, a custa das bandidagens do PT !!

  11. Caros moderadores,

    peço, por gentileza, que retirem o seguinte comentário:

    marco antonio comentou em 11/12/14 at 11:07 Responder
    Cleiton no mínimo tu és um imbecil econômico
    e aparentemente uma voz tosca e irreal da economia na américa latina e no mundo!

    Sinto-me profundamente ofendido pela forma como ofendido o debatedor Marco Antonio trouxe sua crítica. Ele utilizou um xingamento para diminuir uma avaliação específica que deve ser respeitada.

  12. Bem feito pra quem votou no PT. Como disse o ministro, substituam a carne por ovo que é mais barato e tem todas proteinas da carne nele. O problema é de quem nao votou nessa facçao criminosa e vai ter que raxar a conta com os que acreditam em papai noel, peter pam e votaram nessa corja.

Comments are closed.