Banco Central indica medo do dólar e nova alta dos juros; veja, com tradução, os 7 trechos essenciais da mensagem

O Banco Central divulgou uma ata de 71 parágrafos para explicar por que elevou sua taxa de juros de 9,5% para 10% e quais são suas intenções daqui para a frente.

Bastam sete trechos essenciais para entender a mensagem, reproduzidos abaixo com a devida tradução do idioma do BC (e atualizados às 13h).

“O Copom entende ser apropriada a continuidade do ritmo de ajuste das condições monetárias ora em curso.”

Tradução –  “A inflação vai continuar alta, mas, para evitar que fique ainda maior, os juros vão continuar subindo em 0,5 ponto percentual de cada vez.

Nota –  Copom é o Comitê de Política Monetária, formado pela cúpula do BC. A frase é idêntica à da ata de outubro, que antecipou mais uma alta de 0,5 ponto percentual. No mercado, porém, a expectativa mais consensual é uma alta de 0,25 ponto em janeiro.

“O Comitê destaca (…) a ocorrência, desde a última reunião, de focos de tensão e de volatilidade nos mercados de moeda.”

Tradução – “Aumentou o medo de uma alta forte do dólar em breve.”

Nota – A ata de outubro considerava que a tensão havia diminuído no mercado de câmbio. Se o dólar subir, sobem com ele os preços dos importados e a inflação.

“A projeção de inflação para 2013 (…) permanece acima da meta para a inflação. Para 2014, a projeção se manteve (…) acima da meta de 4,5%. Para o terceiro trimestre de 2015, (…) a inflação se posiciona acima da meta.”

Tradução – “Inflação de 5,8% ao ano está de bom tamanho. Para cumprir a meta, seria preciso frear ainda mais o já anêmico crescimento da economia.”

Nota – O teto para a inflação é de dois pontos percentuais acima da meta, ou seja, 6,5%. O governo considera que, respeitado esse limite, a meta foi cumprida.

“O Comitê pondera que a transmissão dos efeitos das ações de política monetária para a inflação ocorre com defasagens.”

Tradução – “Existe a esperança de que o aumento de juros já feito ainda surta mais efeitos.”

Nota – A frase é novidade na ata e pode justificar uma eventual alta de apenas 0,25 ponto em janeiro. Os juros sobem desde abril; como o impacto na economia não é imediato, pode ser que não seja necessário subir muito mais.

“O Copom destaca a estreita margem de ociosidade no mercado de trabalho e pondera que, em tais circunstâncias, um risco significativo reside na possibilidade de concessão de aumentos de salários incompatíveis com o crescimento da produtividade.”

Tradução – “Para reduzir a inflação, é preciso aumentar o desemprego. É por isso, aliás, que está havendo maior tolerância com a inflação.”

Nota – Pela 24ª ata, o BC está recordando a teoria econômica segundo a qual desemprego baixo e reajustes salariais generosos além da conta fazem aumentar a renda, o consumo e os preços.

“O Copom observa que o cenário central para a inflação leva em conta a materialização das trajetórias com as quais trabalha para as variáveis fiscais. Para o Comitê, criam-se condições para que, no horizonte relevante para a política monetária, o balanço do setor público se desloque para a zona de neutralidade.”

Tradução – “Se a inflação subir acima do previsto, a culpa será do aumento dos gastos do governo. O BC tem de acreditar no que o governo diz (que vai controlar os gastos), não no que o governo faz (aumenta continuamente os gastos).”

Nota – Variáveis fiscais significam o resultado das contas do governo, que, quando gasta demais, alimenta o consumo e os preços. Até agosto, o BC dizia que o buraco nas contas do Tesouro estava em alta; depois, sob descrédito crescente, passou a apostar no que chamou de “neutralidade”.

“O Comitê considera oportunas iniciativas no sentido de moderar concessões de subsídios por intermédio de operações de crédito.”

Tradução – “O BC reprova discretamente a recente injeção de mais R$ 24 bilhões no banco oficial de fomento, o BNDES, para a concessão de empréstimos subsidiados às empresas.”

Nota – Introduzida em abril de 2011, a afirmação está sendo repetida, com ligeiras variações, pela 22ª vez em atas. No período, a injeção de dinheiro no BNDES saltou de R$ 180 bilhões para mais de R$ 300 bilhões.

Ficou alguma dúvida? Faltou alguma informação?

Pergunte na área de comentários ou pelo Facebook.

Comentários

  1. essa pessoas se disiam vitimas dos militares; tomaram o poder pelas urna e agora fazem o que fazem. o figueiredo tinha razao. sinto sua falta

    1. Comentário ridículo: a politica economica da ditadura quebrou o país literalmente e deixou o país com uma inflação de 80% ao mês. Ouvir uma afirmação como a sua envergonha qualquer brasileiro.

      1. Ridícula é a sua posição. Vai estudar e pesquisar o que de fato ocorreu. Estamos a caminho de uma banca rota, só defende a atual politica de assistencialismo os petista, que vivem no cabide de emprego do governo e dos milhões de bolsas voto, não são capazes de discernir o certo do errado.

        1. Além da discussão rasa e político partidária, os erros de português de parte a parte são dose… Os militares pegaram um país rural e com infraestrutura zero e direcionaram os investimentos para isso. Porém, culpá-los ou absolvê-los por problemas econômicos sem estudar o que ocorreu, erros e acertos, conjuntura do país e mundial, é de uma imbecilidade total.

          1. A solução está na educação, trabalho, pesquisa, desenvolvimento. Um país onde todos querem celular de ultima geração, computadores, carros, aviões, enfim, miçangas tal como quando descobriram e seduziram os indios locais, não tem governo que mude, qualquer que seja a tendencia politica. A corrupção, o ócio, o se dar bem, está na cabeça de todos. Ficamos especialistas em transferir responsabilidades, os que criticam raivosamente se auto absolvem. Santa Hipocrisisa.

          2. Corretíssimo o seu comentário. Mas reconheço que muitos que comentam neste espaço, não têm ideia do que estão comentando. Parodiando Jesus Cristo, “Eles não sabem o que fazem”.

        2. Defensor de ditadura (que só por isso é uma vergonha), me responda: qual a inflação no país quando o regime militar deixou o governo? o Brasil tinha alguma reserva? Ta com saudade da ditadura, da miséria da inflação vai viver sob uma ditadura! Ta com saudade da miséria: vai viver na Grécia! Tá com saudade dos neoliberais: vai pra Italia, que mesmo com o governo economizando, mais que a Alemanha, vê sua dívida aumentar! Reclama do assistencialismo petista, porque não reclama da Finlândia, com melhor educação do mundo, 50% de imposto com ampla distribuição de renda e benefícios do estado. Sobre estudar: sou doutorando pela Universidade de Nottingham (entre as 100 melhores universidades do mundo), além de estudar história (Princeton), model thinking (Michigan), e micro economia (Irvine, Califórnia) através de plataformas digitais pra matar meu tempo. Coxinha igual vcs com saudade da ditadura são uma vergonha pro Brasil. Suas posições são ridículas e tem vários vídeos no youtube de alunos mesmo em Oxford sendo desmontados por professores em aulas de ciência política:
          http://jornalggn.com.br/noticia/bolsa-familia-aclamada-na-suica-trucidada-no-brasil

          http://www.economist.com/news/international/21588385-giving-money-directly-poor-people-works-surprisingly-well-it-cannot-deal?fsrc=scn/tw_ec/pennies_from_heaven

          https://www.youtube.com/watch?v=epPD4GYZa_8

    2. Sinto muita falta do Figueiredo e outros mais. com a (democracia?), a bandidagem aumentou, os políticos corruptos triplicaram, e o jeitinho brasileiro tomou conta do governo. Estamos no caminho trilhado por Peru, Paraguai, Venezuela e Argentina. Os incultos vibram e bradam, viva o PT, o lulismo nos levará ao abismo.

    3. Realmente tenho vergonha de ser brasileiro ao ter que ler comentarios de viuvas da ditadura e sem noçao do mal que fizeram nos ultimos 100 anos.

  2. O grande problema não é o BNDES soltar dinheiro, o problema é pra quem. Vai pra construção civil mas não se dá cursos a pedreiros, nem se permite importação de máquinas, pior, não se solta o tal dinheiro para uma nova empresa que venha a ser concorrente dos amiguinhos do PT, então tais empresas metem o preço onde querem, aumentando o que? Sim, a inflação…

    O MUNDO deveria se curvar a Dilma, Guido manteiga derretida e sua equipe, deuses da economia, sqn…

  3. inflaçao se combate com produçao, mas quando temos um governo que leva mais da metade detudo que se produz, nao ha o que se fazer . o pt tomou o pais de assalto, a corrupçao é endemica (a nivel municipal,estadual e federal) estao perpetuando a miséria(bolsas familias)e massacrando os que produzem e pagam impostos, que vao para os seus bolsos no ralo corrupto desse pais.

  4. O problema grave no país é a falta de concorrência, que estagna os mercados e não busca novas tecnologias. Vide os preços absurdos que pagamos por produtos de baixa qualidade, tudo reflexo da reserva de mercado e dos impostos altíssimos, fatos que não se justificam pela péssima qualidade dos serviços públicos.

  5. Excelente o texto, sem adjetivos desnecessários, para bons entendedores, pingo é letra. Em resumo, o BC, atrasado por pressão política do governo, só pôde iniciar o ciclo de alta tarde demais. O governo não consegue maneirar nas despesas públicas (que só sobem) e o as contas externas vão mal. Tudo isso prejudica de um lado a inflação aqui e por outro lado o câmbio… O BC vai sofrer e nos fazer sofrer com estas taxas pq é o que sobrou para ele fazer. Quem sou eu para sugerir mas acho que mudanças no compulsório poderiam vir para segurar um pouco o consumo via crédito.

  6. br@sil eh falido e o povo não é dependente apenas das “bolsas familia”. o brasil tem imensa massa refem do subemprego. na europa/eua o desemprego é alto. entretanto lá nao existem estes empregos: frentista ascensorista e cobrador de onibus por ex. estes empregos não agregam nada a uma economia e portanto não são sinais de uma economia saudavel pelo contrario, são sinais de um país medieval servem entretanto p/ um governo populista inflar o total d brasileiros empregados…

  7. Podem acreditar , “QUE SAUDADES DO REGIME MILITAR”. Nenhum presidente militar ficou rico mas os atuais…….PUTZ !

  8. EM TEMPO : O BNDES foi um dos grandes financiadores do Eike Batista , que dizem que era sócio ( enquanto rico ) , de quem ? De quem ?

  9. iSSO E A CONSEQUENCIA QUE DEU ,E VAI PIORAR MAIS AINDA , PORQUE ESSE PESSOAL NAO SABE GOVERNAR NEM A SUA ECONOMIA PESSOAL ( VEJA O GENOINO , GANHOU MUITO E DIZ QUE NAO TEM NADA ) Que Deus ajude o Brasil.

  10. Se a Dilma conseguiu fazer isso em 3 anos, eu não entendo como querem dar mais 4 a ela. O povo mais simples não entende esses números, só vão entender isso quando os números se traduzirem em desemprego e falta de dinheiro. E uma hora isso vai acontecer, porque não há milagre que faça uma Economia que não cresce gerar emprego…só muita maquiagem.

  11. PRÁ DIZER A PURA VERDADE : O PÁIS JÁ ESTÁ DE SACO CHEIO COM ESTE ” PETISMO DITATORIAL E ANTE-DEMOCRÁTICO ” PARA TODOS OS BRASILEIROS ….. OS PELEGOS E BURRO-CRATAS SÃO IDÊNTICOS ÀQUELES QUE LÁ ATRÁS FORAM ALIJADOS DO PODER ! SÓ NOS RESTA DEFENESTRAR ESTES PARASITAS ATUAIS …. ! ASSIM ACABARÁ A CORRUPÇÃO E VOLTARÁ O PLANO REAL , SE INFLAÇÃO ! COM MOEDA ESTÁVEL E FORTE ! E POVO CONTENTE !
    SEM ” CATINGA ” DE PETISTAS !

  12. O governo chama a abertura de biroscas, carroças de pipoca e cachorro quente de empreendedorismo eu chamo de desespero e falta de perspectivas empreender está relacionado a um processo minucioso de estudo e mapeamento do mercado, ameaças e oportunidades, Eventualmente relacionado a uma nova tecnologia patenteada pelo empreendedor, visando encontrar um nicho de mercado, pouco ou nada explorado.

  13. A tradução acima é irresponsável e tendenciosa. Um jornal como a Folha não deveria permitir algo nessa linha.

    1. BIBIBI… Tendecionismo político partidário de esquerda identificado… BIBIBI… Quem fala a verdade que contraria o governo dos regimes de esquerda é inimigo… Cuidado… Cuidado….

  14. Só para se ter uma ideia o governo estipulou por obra do Meireles uma teoria da engana ção, ou melhor, engana a nação, quando estipulou os 2 pontos para mais e 2 para menos sobre a meta da inflação. Saibam que 2 pontos a mais nos 4,5 % são 45,45 % a mais ou quase a metade do centro da meta.
    E 2 pontos a menos o que nunca vamos alcançar a não ser que o Mantega invente,
    55,5% a menos, ou uma vez e 1/3 do valor do centro. Com essa meta qualquer executivo ou diretor de multinacional seria dispensado por incompetência e justa causa.

  15. O dólar deve subir e ficar nas alturas onde sempre esteve e os juros devem ir junto, pois o povo brasileiro e o seu Brasil nada mais são do que um África branca, um mero território de 5° mundo, com um povo de igual classificação. Sem nenhum patriotismo, com educação abaixo da africana, corrupto e orportunista e que depende de estrangeiros até para ter as cuecas que usa. O dólar sobe porque é a moeda de uma das maiores potências políticas, sociais e militares que o mundo já teve e o real afunda porque é a moeda de um dos povos mais fracassados do mundo. E sendo assim, o que tem valor tem, o que não tem, não tem.

Comments are closed.