Arrecadação fecha o trimestre com alta de 2,1%, abaixo do previsto

Com nova decepção em março, a arrecadação de impostos e contribuições federais fechou o primeiro trimestre com expansão inferior às previsões e necessidades do governo Dilma Rousseff.

A receita com tributos somou R$ 86,6 bilhões no mês passado, com alta de 2,5% acima da inflação em relação a março de 2013. No trimestre, foram R$ 296,2 bilhões e alta de 2,1%.

Os principais impostos e contribuições tiveram alta conjunta de 1,98%; o resultado total foi melhor graças a tributos menos importantes para o Orçamento, como as contribuições previdenciárias dos servidores e as destinadas ao sistema S (Sesi, Senai, Senac e outros).

Não se trata de um desempenho ruim, diante do fraco crescimento da economia -que, pelas expectativas mais consensuais, deve ficar abaixo de 2% neste ano.

O número do trimestre é recorde, ou seja, a receita continua em expansão, ainda que no ritmo lento da renda e do consumo do país.

Mas o governo programou suas despesas neste ano com projeções mais otimistas para a arrecadação. No caso dos impostos e contribuições administradas pela Receita Federal, a previsão é um aumento entre 3% e 3,5%.

Isso significa que, se os resultados não melhorarem, o Executivo será obrigado a cortar gastos ou -mais provavelmente neste ano eleitoral- não fechará as contas com o saldo prometido.

A boa notícia, para a Receita Federal, é que a arrecadação já mostra um ritmo melhor na comparação com a alta de apenas 0,9% em janeiro.

A maior frustração até aqui é com os tributos incidentes sobre os lucros das empresas. O Imposto de Renda da Pessoa Jurídica e a CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido) encerram o trimestre com quedas de 7,3% e 4,8%, respectivamente.

Ficou alguma dúvida? Faltou alguma informação?

Pergunte na área de comentários ou pelo Facebook.

Comentários

  1. É só diminuir o número de ministérios e reduzir o cabide de empregos que resolve o problema, né não?

    1. XYZ, concordo com você, mas vc precisava ter mencionado também a diminuição ou extinção da quadrilha.

      1. Também tem que combater os desvios de dinheiro publico os mensalões, mensalinhos, os anõezinhos, os Dirceus é ai não resta mais políticos no Brasil que maravilha podemos emprestar dinheiro ate para os EUA e Europa e ainda acabar com a fome do 3 mundo né

  2. Li no jornal o Estado de São Paulo: Obama tem 200 comissionados e Dilma tem 22.000 (VINTE E DOIS MIL!!!)

    Penso que o Brasil precisa ser dividido em países menores, caso contrário nunca haverá futuro.

    1. Não entendi seu raciocínio, os EUA são MAIORES que o Brasil e têm só 200 cargos, nós precisamos é tirar esse partido do poder, não reduzir o tamanho do país! Se fossemos divididos em 10 países, teríamos 10 ministros da fazenda, 10 ministros da agricultura, e se dependesse do PT, 10 ministros da pesca.

      1. Penso na divisão pois a nossa “República Federativa” não é bem federativa…. O modelo norte americano de federação é mais sustentável, trata os estados como empresas (autonomia e resultado). No Brasil, o estado (empresa) que não vai bem recebe subsídio do governo federal, que por sua vez sobrecarrega aquele que vai bem e fecha seu “balanço” no azul. Resumindo: em unidades menores penso que a administração pública passará ao nível profissional que tanto esperamos.

  3. O que não falta para o governo é dinheiro do povo e falta de vergonha na cara!

  4. O impacto do REFIS sobre a arrecadação do IRPJ e da CSLL

    Como nos meses de janeiro e fevereiro, tivemos em março nova frustração da arrecadação tributária federal, a qual, embora alta e com crescimento real sobre 2013, não conseguiu atingir os níveis previstos/projetados (ou desejados) pelo Ministério da Fazenda.

    Em parte, tal frustração se deve ao baixo nível da atividade econômica e ao anêmico crescimento do PIB neste princípio de ano.

    Creio, no entanto, que a explicação principal para a frustração de receita do IRPJ e da CSLL neste 1º trimestre se encontra no “sucesso” do REFIS no final de 2013 – e que essa frustração de receita não será compensada na arrecadação dos próximos meses/trimestres.

    Ao fazerem a previsão de receitas para 2014, os técnicos do MF certamente não levaram em conta que todo aquele dinheiro recolhido em novembro pelas empresas ao aderirem ao REFIS (fato ou feito tão comemorado pelo Governo), bem como as subsequentes 179 parcelas a serem pagas nos próximos 15 anos, seriam posteriormente apropriados contabilmente nos balanços dessas empresas como despesas (fiscais ou financeiras), impactando negativamente as bases de cálculo do IRPJ e da CSLL.

    Como essas empresas (na maioria sujeitas ao regime de tributação pelo lucro real) recolhem IRPJ à alíquota de 25% e a CSLL à alíquota de 9% (sobre bases de cálculo aproximadamente iguais), temos que, na prática, o efeito líquido efetivo sobre a arrecadação federal dos pagamentos efetuados no âmbito do REFIS é de apenas 66% dos pagamentos realizados pelas empresas que aderiram ao parcelamento.

    Assim, seja qual for a espécie ou tipo do tributo parcelado, o pagamento de cada parcela do REFIS terá como contrapartida uma diminuição na base de cálculo do IRPJ e da CSLL, resultando em “frustração” na arrecadação dessas duas rubricas – com a consequente repercussão negativa também sobre as finanças estaduais e municipais, tendo em vista que 44% da arrecadação do IRPJ são transferidos aos Estados e Municípios via FPE e FPM.

  5. É um saco sem fundo e pouco aproveitável, a não ser politicagens e ajudar os amigos do rei, é feito.

  6. Na questão das empresas era só dimiuir a aliquota de imposto que com certeza, o faturamento iria aumentar, sendo aumentando a contribuição.

  7. Nada enche a barriga do governo , a nao ser terra do emiterio oua a gua do mar…kkk..No Brasil qualquer quantidade de dinheiro o governo fala que e pouco…….

  8. Como o colega falou, basta diminuir o absurdo numero de ministerios e cargos em comissao para apadrinhados, q se ja nao bastasse, em regrA, nao possuem sem qualquer competenciA.

  9. O PT e os partidos da “base alugada”, estão levando o país para o fundo do oceano, onde deve estar o avião que sumiu.É muito fundo.

  10. Pois é ,no País Mentira está aparecendo as verdades.
    Esse governo está em processo de regressão na economia e vai nos trazer uma inflação dificil de controlar

  11. Um país com uma taxa de crescimento abaixo de 2% com expectativa de crescimento da arrecadação de 3,5%? Alguém vê sustentabilidade nessa política desinteligente ou vão continuar estrangulando a classe média até não haver mais como?

    1. Os banco é que determinam a ação incompetente da Fazenda.
      Os Banco são os cânceres do pais e inexistem chance de apagar a barbaridade dos banqueiros que nada produzem e vivem milionários a custa da desgraça dos salários irreais que são impostos pelo governo frágil e incapaz..

  12. Quando imaginamos que o Brasil teve o quinto do inferno na epoca do Imperio referente aos impostos da coroa. Hoje temos a metade do roubo na mão grande deste governo de mentira da Urna eletronica, chegamos a pensar. Já fomos mais felizes.

  13. CSLL diminuindo mostra claramente o que qualquer pessoa que tem empresa (principalmente no segmento industrial) vê há mais de um ano: produção industrial em franca desaceleração. Mas eu estou achando até bom, qualquer coisa que ajude a tirar a Dilma do poder está valendo.

  14. É só cortar a bolsa-copa para os políticos que a economia vai ser bem maior!

  15. Prezados,leitores e participantes desse espaço;
    todas as medidas imputadas sobre o trabalho alheio,que o governo vem praticando,têm sido em vão,no que concerne a aplicabilidade razoável aos interesses e necessidades do povo.A quantidade de siglas que nomeiam os impostos,taxas e contribuições é extremamente inaceitável;inaceitável posto a forma que administram as arrecadações e a malversação do Erário.Todo empresariado repassam os custos operacionais sobre o produto final acabado.Nós,povão,é que pagamos essa mazela.Não é a Dilma,mas todos os partidos e suas nefastas coligações e negociatas criminosas.

  16. No Brasil é assim:
    Os candidatos falam temas maravilhosos.
    Se eleitos invertem e ficam roubando o extra necessário e bastante.
    Esse cara ser ministro durante tantos anos é algo fenomenal.
    A Revista de Economia Mundial deve dar o recorde mundial de permanência em cargo público.
    É tão incompetente que nesses 12 anos de ação nada fez e obedeceu o que o Molusco e os Bancos mandam fazer.
    O resto é falar ao povo que tudo está bem, acabou a inflação (piada para o Chico Anisio contar), que não tem dinheiro para comprar aviões e envia dinheiro para outros países para ajuda contra a fome e deixa o povo daqui com fome.
    Eta malandragem total.
    O povo qeu vota no PT, o resto é lucro.
    Mas não sãi da poltrona de ministro.
    Parece que a budna dele ficou colada e não tem como sair de lá.

  17. viva o Brasil?
    gigante pela própria natureza
    O povo não é covarde
    Os banqueiros são honestos
    Os Economistas são viáveis a potencialidade do pais.
    Os políticos são honestos…..
    Os sindicatos defendem o p trabalhador com integridade.
    Quem tiririca é quem é o errado….

  18. Quer dizer que, mesmo já gastando absurdamente, o governo planeja gastar mais baseado em uma PREVISÃO de aumento de arrecadação ??? E a tal economia para pagamento de juros da dívida ???

  19. Sou contra esse governo, mas a arrecadacao bate recorde e e assim que eles dao essa manchete?
    Tenho meu negocio e essa noticias para aumentar o pessimismo so prejudicam.
    Tem a mesma manchete de forma diferente na globo.com
    Arrecadacao bate recorde.
    Nossa imprensa e pessima, sem compromisso nenhum.

Comments are closed.