Contas estaduais expõem mau desempenho de Eduardo Campos

O Banco Central começou hoje a divulgar com mais detalhe os resultados das contas dos governos estaduais e municipais, o que dará maior visibilidade ao mau desempenho de um adversário da presidente Dilma Rousseff na campanha eleitoral.

No Estado de Pernambuco, governado por Eduardo Campos (PSB), as despesas com pessoal, custeio e investimentos superaram as receitas em R$ 1,5 bilhão no período de 12 meses encerrado em setembro, segundo os dados apresentados.

Trata-se do maior deficit observado no período entre todos os governos estaduais. As contas pernambucanas também fecharam 2012 no vermelho.

Até então, o BC só divulgava as somas dos resultados do Estados e dos municípios, sem diferenciar cada governo. Os resultados individualizados publicados pelas unidades da Federação nunca tiveram a repercussão no mercado dos números do BC.

Foi visível o cuidado na apresentação dos resultados. Não foram detalhados os resultados fechados do ano: em vez disso, em cada Estado foram somados os resultados do governo estadual e de seus municípios. O desempenho de cada um aparece com defasagem de três meses.

Com a crescente preocupação dos investidores quanto à solidez das contas públicas, o Palácio do Planalto e a área econômica têm indicado que buscarão um maior controle das finanças estaduais.

Propositalmente ou não, o movimento também ajuda a demonstrar que a escalada dos gastos não acontece apenas no governo federal -o que pode neutralizar críticas dos adversários na campanha.

Além de Pernambuco, Minas Gerais, vitrine do presidenciável tucano, Aécio Neves, não faz boa figura nos dados, com deficit de R$ 0,6 bilhão nos 12 meses até setembro.

O Estado é governado por Antonio Anastasia, que foi vice de Aécio. O balanço do Estado, apurado com outra metodologia, mostra superavit no ano até outubro.

Ficou alguma dúvida? Faltou alguma informação?

Pergunte na área de comentários ou pelo Facebook.

Comentários

  1. Somando o deficit de todos os estados e municípios do país não dá 2% do déficit do govêrno Dilma.

    1. E aqui deram um tal de “choque de gestão” que os tucanos usaram para reeleger seus candidatos. Tudo mentira. o estade de mg está falido. Qualquer empresa que arrecada menos do que gasta está falida.

  2. O SR. EDUARDO CAMPOS SABE MESMO É TECER CRITICAS FORTES À PRESIDENTE DILMA. MAS COMO PERNAMBUCANO EU ACOMPANHO DE PERTO A GESTAO DO SR. EDUARDO. É MAIS MARKETING DO QUE TRABALHO. GRAÇAS AOS PROJETOS FEDERAIS É QUE O ESTADO ESTÁ SOBRESAINDO NO CENARIO NACIONAL,CASO CONTRARIO ESTARIA IGUAL AO PERIODO DO AVÔ QUANDO O SR. FERNANDO HENRIQUE FEZ UMA POLITICA DE OSTERIDADE COM PERNAMBUCO. ELE DEVIA ERA AGRADECER POR CONTA DE LULA E DILMA TER DADO TANTA ATENÇAO COM INVESTIMENTOS EM PE.SE FOSSE FHC NAO ESTARIA INVESTINDO TANTO AQUI MESMO O SR. EDUARDO O APOIANDO E NEM O ESTANDO MOSTRANDO SEU POTENCIAL PARA O CENARIO INTERNACIONAL.

    1. Concordo com tudo o que disse! Sou pernambucana e percebo a tentativa de fazer o nome através de obras federais. Sou professora e pude ver de perto a situação de uma escola de referência no recife. Uma verdadeira tristeza. Profissionais extremamente desestimulados, escola sucateada, tudo quebrado, alunos fingindo que aprendem e professores infelizmente sem nenhuma vontade de ensinar. Pura enrolação!

  3. O SERVIDOR PERNAMBUCANO VIVE UM PERIODO DE UMA DEMOCRACIA DITATORIA ONDE NAO TEMOS NEM FORÇA DE REVINDICARMOS ,SINDICATOS JA QUASE NAO TEM FORÇA POLITICA, GRAÇAS A SEU MODELO DE GESTAO. DEIXO AQUI UM ALERTA PRA O BRASIL CONHECER UM POUCO MELHOR SOBRE A POSTURA DESSE SR. POIS DE SOCIALISTA DEMOCRATICO TEM MTO POUCO. MTO LONGE DE SER. TEM POSTURA MAIS PARA UMA POLITICA DE REPRENEDER AS PESSOAS DO QUE DE DIALOGAR COM ELAS.QUASE NAO HÁ DIALOGO E SIM, ARROGANCIA E SER O DONO DA PALAVRA FINAL. QUASE NAO HÁ DIALOGO E ACORDO. SEMPRE A PALAVRA FINAL É DELE SEM CHEGAR A UM CONSENSO DO COLETIVO

  4. Quase morri de rir quando li na reportagem que a PM do Paraná tem o melhor salário do país!!! Sou Cabo na PM no PR e meu salário não não chega nem perto dos R$ 4.800,00 divulgados na reportagem.

  5. É bom que se saiba que a administração estadual em Minas não é maravilha alardeada por Aécio e seus asseclas.

  6. Mal consegue administrar Pernambuco e quer administrar um país continental como o Brasil.
    Sem chance. Precisa mostrar competência senão não dá.

  7. Você pode postar um link com os dados completos da pesquisa? Pra vermos o desempenho de outros estados da federação. Obrigado.

  8. sou pernambucano e posso falar, esse dudu malvadeza é um mentiroso. esse cara acabou com pernambuco. aqui gente ligada ao partido do governador, mata promotor e ninguém investiga,. aqui quem faz a lei é dudu malvadeza. como marina silva se junta com o que há de pior na politica brasileira. coronel da pior especie.

  9. ATENÇÃO, BRASIL, não se iludam com essa conversa de EDUARDO CAMPOS. Sou pernambucano, professor da Rede Estadual de Educação. O que Eduardo sabe fazer muito bem é jogar com as palavras, fazer um discurso bonito, que derruba até avião. Aqui ele só fez algo, graças ao padrinho político dele, o LULA, a quem ele o traiu por duas vezes. Ele nos paga o pior piso salarial do Nordeste, perdemos em relação aos outros Estados, considerados mais pobres que PE. Ele não debate com o SINDICATO e dita uma forma de governo capitalista. Não sei como a Marina Silva foi se unir a um ditador, representante da aristocracia nordestina e se unindo ao que há de mais atrasado aqui em PE, os latifundiários, senhores de engenhos, etc. Brasil, acorda !!! Não se deixe enganar por marketing de DUDU Campos. Ele propaga que paga bem aos professores, mas ele não diz de um universo de 58 mil, apenas 4.145 professores trabalham em escolas de referência ganhando um salário de 4 mil reais, o restante recebem os valores bem menores que os colegas dos outros estados nordestinos. De um universo de 1 milhão de estudantes, ele envia para intercâmbio 1 mil e faz o maior estardalhaço em propaganda. Peço encarecidamente ao povo brasileiro: não caiam no conto do vigário. Não votem em Eduardo Campos.

Comments are closed.