Campanha afirma que governo Aécio buscará reduzir carga tributária

Em mensagem enviada ao blog, o economista Mansueto Almeida, um dos coordenadores do programa de governo do tucano Aécio Neves, nega que o candidato tenha indicado a intenção de manter ou até elevar a carga tributária, analisada em postagem anterior.

Veja o texto:

“Apesar dos textos sempre precisos do repórter Gustavo Patu, houve um mal entendido em relação às declarações do candidato à Presidência da República Aécio Neves em entrevista ao portal G1 na última segunda-feira, dia 4 de agosto de 2014. 

Em relação ao tamanho da carga tributária, o repórter foi fiel à mensagem do senador, que alertou que, sem controlar o crescimento do gasto público corrente, não haverá espaço para que o próximo presidente possa reduzir rapidamente a carga tributária. 

‘Só vamos ter espaço para a diminuição da carga tributária (…) no momento em que encaixarmos o crescimento do gasto corrente [as despesas permanentes do governo] dentro do crescimento da própria economia’, disse Aécio durante a sabatina do G1.

No entanto, isso não significa dizer que o próximo governo não vá buscar criar espaço fiscal para reduzir a carga tributária. Esse objetivo será possível com um controle maior do crescimento do gasto público.

O ponto importante a ser destacado aqui é que, apesar da dificuldade fiscal, não há intenção de em um governo do PSDB aumentar a carga tributária. O  Brasil já tem uma carga tributária muito elevada para o seu nível de desenvolvimento. O que pode ser feito são modificações de impostos específicos compensados pela redução de outros para melhorar a estrutura tributária. Sem o objetivo de aumentar a carga tributária. 

O aumento de carga tributária no período posterior ao Plano Real foi uma medida correta e necessária, pois uma parte dos gastos era financiada pela inflação de mais de dois dígitos mensais. Não é o caso agora. Apesar do aumento da inflação no governo Dilma. A agenda para o Brasil hoje é outra: simplificar o nosso sistema tributário e criar o espaço fiscal para redução da carga tributária com o controle do crescimento dos gastos correntes.”

Ficou alguma dúvida? Faltou alguma informação?

Pergunte na área de comentários ou pelo Facebook.

Comentários

  1. “com o controle do crescimento dos gastos correntes.”

    Os gastos correntes vão continuar a crescer, só que, agora, com controle. é isso?

    1. Claro isso é óbvio, a maquina pública cresce diretamente proporcional a quantidade da população. Mais pessoas, mais hospitais públicos, mais escolas públicas, mais órgãos públicos, mais tudo…logo mais estado e mais gasto público. Não existe extinguir gasto público, isso somente acontecerá quando a população começar a diminuir e não é isso que estamos vendo com o Brasil invertendo a pirâmide etária com o aumento da expectativa de vida.
      O que significa isso? Mais idosos, menos mão de obra, maior necessidade do estado, mais gastos…Não tem pra onde fugir, não existe milagre e sim controle de gastos.

      1. aprenda que gastos públicos representam também obras superfaturadas compra de votos de deputados, loteamento de inúmeros cargos para diversos partidos e muita corrupção logo reduzir os gasto é possível tirar o pt do poder já é possibilidade real disto.

      2. Uma outra – e melhor – forma de se reduzir impostos é diminuir o tamanho do Estado.

  2. Agora sim, o que Aécio disse é o que se lê, embora as milícias já tenham usado o texto anterior, que diz o que Aécio não disse, já tenha causado algum incendio. Gente: jornalismo, informação, para fazer a diferença com o que o lixo ideológico produz.

  3. PSDB reduzir impostos? Não é o histórico deles. Quando FHC foi presidente a carga tributaria chegou a 48,5% hoje esta em 29,8%. Como acreditar hoje no que fizeram ao contrario quando foram governo?

    1. Vish! Você acha que nós somos t.ro.uxa Carl? 48% e agora 29%!?

      1. Google kra, essa informação que o Carl deu não é “secreta”. Vc pode confirmar isso com alguns cliques.

    2. ELEITORES DO PT E O AUMENTO DO ANALFABETISMO NO BRASIL DURANTE O GOV PT SOMADO A 40% DE ANALFABETOS FUNCIONAIS QUE FREQUENTAM OS DECADENTES CURSOS SUPERIORES HOJE DÁ NISTO CARGA TRIBUTARIA MENOR COM O PT QUE GENTE BEM BURRA.

    3. Não creio ser correto analisar apenas o pós-FHC, mas também o pré-FHC. Antes do ajuste fiscal comentado acima (economista Mansueto Almeida), o Brasil vinha de infração de mais de 10%ao mês (remarcações diárias de preços nos supermercados, over night, etc.).

    4. Com a previsão de fechar este ano com carga tributária de 36,42% do seu Produto Interno Bruto – PIB, o Brasil ocupa a última posição entre os BRICS.

  4. Aécio reduzir impostos? Jamais. Minas tem o icms sobre energia elétrica mais alto do país. O governo de Minas não apenas não reduz impostos como boicotou a redução do preço feito governo federal.

    1. E fez muito bem em “boicotar”, já viu o prejuízo para as distribuidoras – que será compensado pelo consumidor – proveniente da ação irresponsável do governo federal?

      1. Em ambos os casos o consumidor pagará. A diferença é que em MG o consumidor sempre pagou e sempre pagará o pato, enquanto que no resto do Brasil só pagarão por 2 anos.
        Outro fato interessante é que em MG temos 3 impostos a mais que todos os outros estados da nação, todos criados por Aécio.

      2. Fez bem em boicotar?!?
        E sobre o ICMS??

        Ele não fez em MG, mas vai fazer pelo Brasil?!
        Jura?!

  5. Aécio jamais faria isso, foi o maior criador de taxas em MG qdo foi governador, não voto mais em ninguém, mas se esse playboizinho ganhar, acabou o Brasil!

    1. Olá Luiz pra que esse playboizinho não ganhe vc precisa votar em alguém , vote certo, vote DILMA 13.

  6. Deveria ter reduzido percentual do icms sobre energia elétrica em Minas, que é o maior do Brasil.

  7. Qual foi o plano econômico lançado pelo PT em seus doze anos de governo??..é isso que eu quero saber.

  8. Estão tão desejosos de voltar ao poder, que são capazes mesmo de fazer aquilo que um dia podiam fazer mas nunca fizeram… Eu só ouvi falar (e vi praticar) essa tal de DESONERAÇÃO tributária, depois que o PT assumiu o poder… Tô enganado ?!

    1. Aonde houve a desoneração ? essa enganação ? Vários clientes que entraram nesse processo tiveram um aumento no valor pago

  9. Nenhum futuro presidente, governador, prefeito e até sindico de prédio reduz receita No BRASIL, promessa não quer dizer certeza, é só promessa, SIMPLES ASSIM rsrsr.

  10. É só perguntar a Aécio, o que ele fez com a Educação em M.Gerais. e Porque ele colocou o pedágio na MG. 050, Pq. o dinheiro é dele. Mas, quem dá manutenção é o Estado. Esse cara é um enganador.

  11. Nem quando o cara se tari eles acreditam e os Ptistas que são aloprados.. Lembram dos aloprados né? Com certeza um monte de gente que temo ciência sem fronteiras hj agradeça ao PSDB então?? que queira ou não foi o PT. Fala sério..Aécio Neves? Vá em Minas e saiba quem é ele. Não sou filiado a nenhum partido e nem tampouco funcionário de nada. Mas se há chance de redução de carga tributária não é com quem a elevou ao patamar que até hj impera, acordem. O PMDB está acomodado aí em Dilma e daí não passa. Mas para o PSDB poder ganhar vai ter que dá até o …e isso significa cortar gastos ? Aqui tem um tal de Geddel na Bahia que até ACM tinha medo e apoia esse rapaz..parceiro é questão de raciocínio. Ele vai reduzir o q? Só se for parando a investigação de sonegação fiscal da receita federal sobre a rede roubo de televisão. Falo de cadeira pois meu primo é vice prefeito de uma cidade do sul baiano, e aguentar a fome do PMDB é dose, tem de ter pulso..os caras são de pedir na maior cara dura. Acordem crianças com esse povo não há esperança..tolinhos.

  12. Eu gostaria de estar vivo para ver isso mas creio que não será possível.
    Todo governo tem em seus programas a tão sonhado reforma tributária assim como a agrária porém são 24 anos de democracia e quase nada foi feita nessas áreas, avançamos em outras mas nessa parte temos de ser sinceros a coisa é triste.Alguns governos municipais conseguem ajudar seus municípios porém a parte tributária estadual e federal é pesada e rígida acho muito difícil chegarmos ao ponto de mudar isso, teria de haver muita pressão.

Comments are closed.